Diablo

Diablo – Gameplay e Mecânicas

Diablo é um action-RPG de sucesso dos anos 90. Com diversos elementos de RPG misturados com Roguelike, foi um dos jogos mais importantes para a história dos games. O Bichos Geeks fez uma pauta grande com diversos detalhes sobre o jogo para gravar o podcast especial de início do site. Confira abaixo algumas informações sobre o primeiro jogo da série.

Para mais informações, curiosidades, história do desenvolvimento e da lore do jogo, ouça nosso podcast de Diablo!

Gameplay

Com gameplay simples para o jogador, grande parte dos comandos são feitos pelo mouse. Clicar para andar, clicar para atacar um inimigo, clicar para coletar os itens, etc. Mas também era possível associar atalhos para as magias no teclado e para o uso de itens no “cinturão” do jogador, facilitando o uso de poções e tomos de magias.

O jogo utiliza do método de procedural generation para suas fases e itens. Ou seja,tudo nele é randômico, o layout dos labirintos, e os status das armas que o jogador irá encontrar pelo caminho. Por tudo ser randômico, o fator de replay do Diablo é bem alto, já que cada jogo resulta em uma situação diferente, encontro com chefes, encontro de itens únicos, adquirir novas magias, etc.

O jogo conta com um hub principal, a cidade de Tristan, onde o jogador pode comprar novos equipamentos e magias, adquirir quests e conhecer mais da história do jogo através dos NPCs estacionados lá.

E uma dungeon principal, com 16 andares, separadas por 4 áreas diferentes. Cada área contém seu próprio tipo de inimigo, dinâmica, luz e cenário. Separadas em:

  • Níveis 1-4: A Catedral (The Catedral)

Os monstros aqui são os mais fracos no jogo, e a área conta com diversos santuários para restaurar a saúde do jogador. A catedral é bastante simples no layout, com grandes salas de ligadas por corredores amplos, portas, arcos e grades (que você pode usar para se proteger de inimigos enquanto atira ou usa magias neles à distância.)

  • Níveis 5-8: As Catacumbas (The Catacombs)

Esta área é mais difícil do que a Catedral, os santuários começam a ser aleatórios e têm efeitos desconhecidos, podendo restaurar a saúde ou até causar dano. As Catacumbas apresentam um cenário mais escuro e com salas menores do que as da Catedral. Elas começam a anunciar para você que a coisa, daqui pra baixo, vai ficar ainda mais feia.

  • Níveis 9-12: As Cavernas (The Caves)

Monstros poderosos aparecem aqui, e na dificuldade Inferno, os primeiros inimigos que são imunes a todos os três tipos de dano mágico podem aparecer aqui. O layout das cavernas é muito complexo, com rios de lava que cercam e bloqueiam o caminho do jogador. Estes rios também podem ser utilizados para a sua vantagem em combate à distância.

  • Níveis 13-16: Inferno

Infestado com os monstros mais poderosos do jogo, incluindo mais dois monstros que têm imunidade tripla na dificuldade Inferno.

E é no nível 16 que o jogador encontra o Diablo, esse nível não pode ser acessado até que o jogador tenha completado a missão para matar o Arcebispo Lazarus.

Mapa de Tristram do Diablo 1

As classes

Diablo conta com 3 classes iniciais, e diferente dos jogos posteriores da série, as classes aqui não apresentam mudanças nas habilidades (exceto pelas três habilidades básicas de cada classe), apenas no modo como elas podem crescer. As classes são:

Classe Warrior DiabloWarrior: O guerreiro é a classe canônica da série, e se trata do outro filho do Rei Leoric, Aidan. Após derrotar Diablo no labirinto da catedral de Tristran, Aidan insere a pedra corrompida Soulstone em sua testa em uma tentativa de controlar o poder do Diablo em seu corpo. Acaba por ser corrompido e se torna o Dark Wanderer, vilão do Diablo II.

A única classe que tem uma maior facilidade de controle de inimigos no início do jogo, mas que apresenta uma dificuldade maior próximo ao final do jogo. A cada ganho de nível ele recebe +2 de vida e +1 de mana. Sua habilidade básica é a Item Repair.

 

Classe Rogue DiabloRogue: É hábil com o arco e flecha e pertence à ordem das Sisters of the Sightless Eye, essa ordem serve de pivô para o Ato I no Diablo II. Embora não seja a heroína canônica, ela lutou sim no labirinto da catedral de Tristram e, logo após a derrota de Diablo, retornou à ordem apenas para ser corrompida por Andariel, após Diablo passar pelo mosteiro. Assim, se tornou a demônio Blood Raven e foi morta pelos heróis de Diablo II.

Assim como o Sorcerer, a Rogue é uma classe que pode apresentar dificuldades no início do jogo, mas se torna uma personagem extremamente poderosa próximo do final do jogo.  A cada ganho de nível ela recebe +1 de vida e +2 de mana. Sua habilidade básica é a Disarm Traps.

 

Classe Sorcerer Diablo

Sorcerer: Um mago muito poderoso e membro de um dos clãs de magos orientais, o Vizjerei. Após passar pelo labirinto sob Tristram, ele também acaba sendo corrompido e Acaba por se tonar o Summoner, chefe de uma quest do Ato II do Diablo II, e morre pelos heróis do jogo.

Assim como a Rogue, o Sorcerer é uma classe que pode apresentar dificuldades no início do jogo, mas se torna extremamente poderosa quanto mais tomos de magia conseguir obter.  A cada ganho de nível ele recebe +1 de vida e +2 de mana. Sua habilidade básica é a Staff Recharge.

 

Atributos

A evolução dos personagens se dá por uma distribuição de pontos em 4 atributos diferentes. A cada nível o jogador ganha 5 pontos para distribuí-los da forma que quiser. Os atributos são:

  • Força (Strength): Cada ponto distribuído, aumenta o dano causado por combate melee. Atributo necessário para equipar armaduras e armas mais avançadas.
  • Destreza (Dexterity): Aumenta as chances de atingir o inimigo, e diminui as chances de um ataque inimigo atingir o jogador. Também afeta o dano causado por armas de longa distância (apenas para a Rogue). Arcos exigem uma pontuação mínima de destreza para que possam ser equipados.
  • Vida (Vitality): Aumenta a quantidade de vida (HP) que o personagem tem. Também determina o quanto de dano um monstro precisa dar para que o personagem fique paralisado (stun).
  • Magia (Magic): Aumenta a quantidade de mana que o personagem tem. E também altera os status das magias, aumentando o dano ou a duração da magia. Livros (spellbooks), cajados e scrolls necessitam de um número mínimo de Magic para serem usados.

Atributos dos Personagens de Diablo

Apesar de ter 3 classes iniciais é possível moldar cada uma da forma que o jogador quiser, como por exemplo: Um Warrior capaz de usar diversas magias, ou um Sorcerer capaz de usar machados para maior dano físico. Ao contrário de outros jogos onde cada classe tem sua própria árvore de melhoria.

Entretanto as classes apresentam algumas diferenças na sua construção. Por exemplo, o Warrior pode ter o máximo de 250 de força, a Rogue tem 250 em destreza, e o Sorcerer tem como atributo maximizado a magia, também alcançando 250 pontos.

O jogador também conta com estatísticas cedidas não só pelos atributos, mas pelas armas e armaduras que encontra por aí. Elas podem afetar a defesa e o ataque do personagem. Além da Vida e da Mana, o jogador também conta com:

  • Chance to Hit (Chance de Acerto): Afeta a chance que ataques físicos têm de acertar o alvo inimigo.
  • Armor Class (AC): É a quantidade e qualidade da armadura. Adiciona um número para o cálculo de dano tomado pelo golpe do inimigo, reduzindo a quantidade.
  • Damage (Dano): Representa a um número correspondente à quantidade de dano causado por um ataque ao inimigo.
  • Resist Fire, Resist Lightning, Resist Magic: A porcentagem de chances que um personagem tem para resistir a um ataque dos respectivos elementais mágicos (fogo, trovão ou mágico). Apesar de alguns inimigos possuírem imunidades totais, o jogador nunca conseguirá passar dos 75% de resistência.

Os personagens também têm chances de aumentar e diminuir atributos e estatísticas através de altares (shrines) encontradas espalhadas pelo mapa do jogo. Além do próprio equipamento adquirido, como dito anteriormente.

Itens

Grande parte da sensação de recompensa do jogo para o jogador, além da melhoria do personagem, também vem do resultado dos itens encontrados durante a exploração do personagem no labirinto da catedral de Tristram. Além dos itens comuns como gold e potions para o personagem restaurar a mana e a vida, Diablo também conta com outros itens:

  • Scrolls: Os scrolls são usados para soltar uma certa magia disponível por ele. Itens de uso único, podem ser encontrados durante a exploração. Para soltar a magia o personagem deve ter um número mínimo no atributo de Magic. As magias podem ir desde magias de ataque, até as de proteção e buff do personagem. O scroll mais comum é o Town Portal.
  • Elixirs: Os elixirs aumentam um ponto de um atributo do personagem permanentemente. Pode ser encontrado com o nome de “Elixir of [nome do atributo]”.
  • Spellbooks: São tomos de magia que, se o personagem possuir o mínimo de pontos de Magic requisitados, podem ser lidos e o personagem aprende aquela magia permanentemente. Diferente dos scrolls, onde o personagem apenas lança a magia, mas não a aprende. Existem spellbooks com magias de diversos níveis e, ao repetir o processo, a magia é fortificada.

Janela de Itens do DiabloO jogo conta também com um número gigantesco de equipamentos para o personagem, indo de armas e armaduras até anéis e colares, cada qual com uma estatística diferente randômica e um nível de raridade dos tipos:

  • Normal: Os itens do tipo Normal possuem um texto de descrição branco. São itens comuns encontrados regularmente durante o jogo. Possuem um valor de venda baixo, e quase não vem com estatísticas especiais para a melhoria do personagem.
  • Magic: Itens do tipo Mágicos, são um pouco mais incomuns que os itens normais. Possuem seu texto de descrição em um tom azul. Vêm com algumas estatísticas para a melhoria do personagem.
  • Unique: Os itens do tipo Unique são muito raros e únicos. Podem conter mais de 6 atributos para melhorias do personagem. Alguns deles não são apenas únicos em seus atributos, mas também em sua aparência, se destacando dos outros itens encontrados pelos jogos. O texto de descrição do item vem em uma cor dourada. (No caso do Playstation, caso o jogador salve apenas o personagem, ele perde o item único)

Prefixos e Sufixos

As armas do tipo Magic também contam com prefixos e sufixos para diferenciar seus atributos e tipos. Como por exemplo: As armas com o sufixo “Zodiac” melhoram os atributos do personagem em uns 16 a 20 pontos. Também é possível encontrar armas com o sufixo “of the whale” (adiciona 13 pontos pro atributo de vida) , “of perfection” (adiciona 10 pontos de destreza), e até os prefixos “Holy”(que adiciona uma porcentagem na Armor Class), ” Hydra’s”( aumenta em 10 pontos o atributo de mana) e afins. Cada qual contribui com uma melhoria específica nos status ou nos atributos dos personagens. Então é capaz que você encontre uma armadura de nome “Holy armor of perfection” que adiciona uma porcentagem na AC do personagem e ainda mais 10 pontos de destreza.

Esse tipo de associação dos nomes a atributos é icônica da série Diablo.

Os Monstros

Os monstros são divididos de acordo com seus mestres:

  • Os followers of Mephisto, o Senhor do Ódio, são os undead (esqueletos e zumbis), os animais demoniacamente corrompidos (cujas formas e membros retorcidos os deixam em eterna agonia e raiva), e os Magma Demons gerados pelo derramamento do sangue de Mephisto no inferno.
  • Os followers of Baal, o Senhor da Destruição, são criaturas que buscam a ruína do universo material e a manifestação de caos. Algumas delas incluem os Fallen Ones, Goatmen and Poison Spitters.
  • Os minions of Diablo, o Senhor do Terror, correspondem a todos os medos dos homens em uma forma corpórea. Eles atacam suas vítimas pelas sombras, especialmente se elas demonstrarem fraqueza.

Esses monstros também são divididos em três grupos distintos, cada qual com sua resistência e força:

  • Animais (Animals): São fracos contra ataques de espadas, e mais resistentes a ataques de porretes (blunt/club).
  • Demônios (Demons): Tomam a mesma quantidade de dano de todos os tipos de armas.
  • Mortos-Vivos (Undead): São fracos contra ataques de porretes (blunt/club), e tomam menos dano de ataques vindos de espadas e cortes. São os únicos vulneráveis à magia Holy Bolt.

Durante o gameplay o jogador pode (ou não) encontrar alguns monstros únicos pela dungeon também. Alguns de destaque são:

  • Butcher: Um overlord que mutila todas as vítimas que Lazarus atraí para a catedral. Ele aparece em todas as instâncias do multiplayer, mas não em todos os single play.
  • Skeleton King: Rei Leoric, após sua morte, foi amaldiçoado e com poderes necromantes, vaga pelo labirinto da catedral, atacando quem passar por lá. Acessado em um sub-nível (fora do mapa principal do labirinto). Também não aparece em todos os singles.
  • Gharbad the Weak: O goat-man. Extremamente fraco, suborna o jogador para não morrer (mas sempre chega a um ponto em que ataca o jogador.)
  • Snotspill: Um pequeno demônio que roubou a placa da taverna da cidade de Tristram. Pede para o jogador se livrar de uns demônios maiores, para em troca, devolver a placa. Acaba invocando outros demônios e ataca o jogador.

Multiplayer:

Por conta do Battle.net ainda ser algo novo para a Blizzard, eles não souberam tratar dos jogadores “cheaters,” o que dificultava em uma boa diversão no meio online, já que diversos jogadores dispunham de trainers e itens duplicados. Os saves eram locais, então os jogadores modificavam os jogos com os cheats e entravam no multiplayer.

Em 1998, o playstation ganhou um port do jogo feito pela Eletronic Arts.

Com a falta de um sistema de multiplayer online, o jogo contava com um sistema de co-op local para dois jogadores. E manteve-se bastante fiel à sua versão original para PC.

Diablo – Hellfire

Diablo Hellfire

Em 1997 Diablo ganhou uma expansão oficial feita pela Sierra. Essa expansão conta com:

  • 2 novas dungeons (The Festering Nest e Demon Crypts, ambas acabaram sendo reusadas, com algumas melhorias estéticas, no Diablo II)
  • Uma nova classe: Monk
  • Diversos itens e magias novos

Essa expansão contaria com outras duas classes também: Bard e Barbarian, que foram cortadas no produto final, mas é possível acessá-las mexendo nos arquivos do jogo.

Hellfire é conhecido por ser extremamente bugado, já que trazia alguns bugs da versão original do Diablo (os patches da versão original não poderiam ser usadas nele), somados aos bugs pertencentes à expansão. A Sierra só disponibilizou um patch corrigindo apenas alguns poucos bugs da própria expansão. Outro problema é que a Battle.net não poderia ser usada na expansão, tirando parte do brilho cujo jogo original tinha.

História de Diablo – Hellfire:

Um dark mage lança uma magia, e sem saber, acaba libertando o demônio Na-Krul sobre a cidade de Tristram, e antes que ele pudesse escapar, o dark mage acaba trancando o demônio em umas catacumbas sob a cidade. E cabe ao herói derrotar este demônio, que havia sido banido para a void pelo próprio Diablo.

Essa história não é levada como canon dentro da linha de tempo da série. Ou seja, não é canônica e nunca aconteceu.

Para mais informações, curiosidades, história do desenvolvimento e da lore do jogo, ouça nosso podcast de Diablo!

About Marcos Tirso

O guaxinim e co-fundador do Bichos Geeks!
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.